3 livros clássicos de Virginia Woolf

3 livros clássicos de virginia woolf

A autora britânica Virginia Woolf (1882 -1941) escreveu grandes clássicos da literatura e  romances que são considerados obras-primas: Mrs. Dalloway, Entre os atos, Orlando, Ao farol e As ondas. Além de ser uma escritora genial, ela também contribuiu enormemente para a vida cultural e literária europeia, Junto com o marido, fundou a editora Hogarth Press, que publicou obras de escritores como Katherine Mansfield e T.S. Eliot.

Woolf nasceu em Londres em 1882. Era filha do escritor Leslie Stephen, e desde criança teve contato com o mundo dos livros. Ela e a irmã, a pintora Vanessa Bell, participaram do Grupo de Bloomsbury, formado por intelectuais e artistas. Entre os membros estavam o economista J. Maynard Keynes e Leonard Woolf, futuro marido da escritora.

Umas das grandes marcas de Virginia Woolf era o domínio do fluxo de consciência. Woolf era exímia em simular o processo caótico da mente reproduzindo os pensamentos, as sensações e a percepção do mundo do personagem, como fez em Mrs. Dalloway.

“Uma mulher, se quiser escrever literatura, precisa ter dinheiro e um quarto só seu”. A frase resume o feminismo de Virginia e também a sua visão da literatura e das mulheres.

Orlando

É um dos livros mais interessantes de Virginia Woolf, e talvez o mais acessível para quem esteja iniciando no mundo da autora. Orlando é o sexto romance da autora e foi publicado em 1928. A obra foi um sucesso comercial na época e também foi adaptada para o cinema em 1992.

Orlando é um jovem de 16 anos que vive no século XVI, mas que terá uma longa vida por três séculos de história. Orlando muda de país, pensamento, e também de sexo. Ele nasce como homem, mas em algum momento da história se transforma em mulher, sem maiores traumas. A androginia é o principal tema do livro, assim como as mudanças da sociedade que ocorreram através dos séculos, como a criação das lojas de departamento e o uso de aliança. (Quando retorna para a Inglaterra no século XIX, Orlando observa que pessoas de diversas classes sociais usam anéis nos dedos para indicar compromisso).

As características de Orlando foram emprestadas da escritora Victoria Sackville-West. Vita foi amante de Virginia, e as duas permaneceram amigas até a morte. De fato, o castelo onde Orlando morava é o castelo dos Sackville.

 

Entre os atos

Entre os atos foi o último livro escrito por Virginia Woolf. A autora tinha o hábito de escrever dois livros ao mesmo tempo para “descansar” do trabalho principal. Em abril de 1938, a obra principal de Virginia era a biografia de Roger Fry, crítico de arte e pintor. Enquanto descansava da biografia, ela começou a trabalhar no livro Entre os atos.

Em uma pequena cidade do interior da Inglaterra, é tradição que todos os anos a trupe de teatro local faça uma montagem sobre a história inglesa. Todos os moradores se engajam no espetáculo, tanto na plateia como atores. Virginia escreveu a obra durante a Segunda Guerra Mundial, e essa experiência é refletida no livro.


Mrs. Dalloway

É a obra mais conhecida de Virginia, e retrata um dia na vida da socialite Clarissa Dalloway. O modelo para a construção de Clarissa foi a socialite Kitty Maxse, amiga da família. Além de Kitty,Woolf se inspirou em outras pessoas do seu convívio para criar os personagens de Mrs. Dalloway. A bailarina russa Lydia Lopokova, que integrava o Grupo de Bloomsbury, foi a inspiração para Lucrezia Warren Smith. Num lapso, a própria Virginia chegou a chamar Lydia de Rezia. No livro, Lucrezia é casada com Septimus Warren Smith, um veterano da Primeira Guerra Mundial.

 

Frases de escritores famosos para incentivar a escrita

FRASES DE ESCRITORES FAMOSOS PARA INCENTIVAR A ESCRITA

Que tal começar 2018 com algumas frases de inspiração? Às vezes, para iniciar um projeto, ou apenas uma leitura, precisamos de um empurrãozinho. Melhor quando este empurrão vem de autores renomados.

“O pecado é a matéria-prima do escritor. As paixões do coração, o pão e vinho que saboreia.”
François Mauriac

“Não faz muito sentido escrever se não for para incomodar alguém.”
Kingsley Amis

“Escrever, a mais solitária das ocupações, é uma espécie de aflição.”
Nadine Gordimer

“As pessoas sempre criaram os seus próprios mundos de mitos e sonhos.”
Yasar Kemal

“Dramaturgo é uma pessoa que põe as tripas penduradas no palco.”
Edward Albee

“Um romance que não revela um aspecto até então desconhecido da existência é imoral.”
Milan Kundera

“Se você não tem aquela confissão secreta, talvez não tenha um poema.”
Ted Hughes

“Precisamos de escritores porque precisamos de testemunhas deste terrível século.”
E.L. Doctorow

“Há uma coisa que eu creio estar crescendo em mim à medida que fico mais velha: os finais felizes.”
Alice Munro

“Se eles podem levar você a fazer perguntas erradas, não têm de se preocupar com as respostas.”
Thomas Pynchon

“As únicas respostas interessantes são aquelas que destroem perguntas.”
Susan Sontag

“Sobrevivi representando esses meus sofrimentos na forma de romances.”
Kenzaburo Oe

“Uma mulher precisa de dinheiro e de um quarto só seu, se vai escrever ficção.”
Virginia Woolf

Referência: 501 grandes escritores. Ed. Sextante: 2009.