A parte que falta

Não acompanho muito o universo dos youtubers, mas o novo vídeo da Jout Jout tocou fundo na alma. Ela fala sobre o livro A parte que falta, do escritor Shel Silverstein. Recomendo o livro (e o vídeo) para quem acha que a vida nunca está completa, sempre tem que ser preenchida por algo a mais (um novo amor, novo emprego, dinheiro, etc). Eu sempre estou em busca de algo a mais, mas às vezes tudo o que precisamos é curtir a paisagem…

 

Resenha: História de quem foge e de quem fica – Elena Ferrante

História de quem foge e de quem fica elena ferrante

 

“História de quem foge e de quem fica” é o melhor livro da série napolitana até agora – o quarto livro ainda não foi publicado no Brasil. Neste terceiro volume da série, Elena Ferrante reflete sobre a condição da mulher com uma profundidade e honestidade difíceis de encontrar na literatura. Por meio da escrita elegante da escritora italiana, entramos nas divagações da narradora Elena Greco sobre relacionamentos, amizades, a vida, a maternidade.

Na série napolitana, Elena Greco começa a narrar a história de sua amizade desde a infância com Raffaella Cerullo – Lila. As amigas Lenu e Lila agora encontram-se em importantes momentos da vida adulta. Com a ajuda de Lenu, Lila consegue sair da fábrica de embutidos e recomeçar uma nova vida no bairro. Já Elena Greco descobre os desafios de ter uma carreira literária sendo mãe e dona de casa.

A rotina do casamento, a gravidez e a rigidez do marido Pietro a fazem esquecer de si mesma e da carreira literária que tanto lutara para conquistar.Todo o tempo disponível é para cuidar da casa e das filhas.  Apesar de ser uma mulher culta e determinada, vive na sombra do marido e dos objetos de sua afeição. Quem a tira deste estado catatônico é Nino, a paixão de infância de Lenu e o amor frustrado de Lila.

Nino é o oposto de Pietro: atencioso, relaxado, antenado com as mudanças sociais. Ele apoia as iniciativas de Elena e a valoriza, ao contrário de Pietro que sempre caçoa das ideias da mulher. Pietro não vê com bons olhos a influência de sua irmã Mariarosa sobre Lenu. Ao contrário do irmão, ela é engajada nos movimentos sociais do anos 60 e realiza grupos de estudos feministas.

Além da questão feminina, Elena Ferrante também aborda as lutas estudantis de maio de 68,  a máfia, as revoltas operárias na Itália e a agitação política que tomou conta dos país nas décadas de 60 e 70. Ferrante fala sobre esses eventos com naturalidade, um pano de fundo para a vida das personagens.

história de quem foge e de quem fica elena ferrante

Lenu tenta fugir de Nápoles e dos problemas do bairro, enquanto Lila aceita as consequências de morar em uma cidade dominada pela máfia

 

Há também as micro tensões sociais. A dedicada professora Galiani transforma-se numa mulher amargurada, que desdenha do sucesso literário de Lenu e de sua ascensão social. Galiani admira Lila pela coragem e pela visão prática – ela não suporta “os ricos estudantes” que pensam que agem em prol dos operários. Nadia, a filha de Galiani, torna-se uma dessas estudantes e começa um relacionamento com Pasquale, amigo de infância de Lenu e Lila. O relacionamento não é bem visto pela família de Nadia.

Os acontecimentos políticos e sociais moldam a vida de Lenu e Lina, mas a amizade entre elas é o relacionamento mais forte que possuem. Temos apenas a perspectiva de Lenu para conhecer Lila. Aliás, a presença de Lila é sempre uma sombra para Lenu, e neste terceiro livro as influências dessa relação ficam mais explícitas. Elena Greco sente-se intimidada pela inteligência de Lila e sua perspicácia até em assuntos literários: “Disse que a face nojenta das coisas não era suficiente para escrever um romance: sem imaginação não parecia uma face verdadeira, mas uma máscara.

Quando parece se livrar da influência angustiante de Lila, Elena procura em Nino uma fonte de inspiração. Confesso que senti um pouco de pena da personagem. Ela parece ser uma mulher forte, mas quando finalmente consegue se libertar, se ancora em outra pessoa para escrever e guiar sua vida. Espero que no quarto volume ela “se liberte”.

Enfim, o livro é uma excelente leitura, vale a penas ler os primeiros livros da série (que também são ótimos) “A amiga genial” e “História do novo sobrenome“. Mal vejo a hora de ler o quarto volume “Storia della bambina perduta” (História da garota perdida, numa tradução livre). Enquanto o quarto livro não é lançado no Brasil, você pode ler outros livros de Ferrante, como “A filha perdida“.