Um verão em Siena – Esther Freud

um verão em siena esther freud

Piazza del Campo, em Siena


Esther Freud
é uma escritora britânica, apontada pela revista literária Granta em 1993 entre os melhores jovens escritores com menos de 40. Ela já publicou seis livros e, por incrível que pareça, suas obras ainda não foram traduzidas no Brasil. Digo incrível considerando que, além de ser uma excelente escritora, a autora é bisneta do pai da psicanálise, Sigmund Freud, e filha do pintor Lucian Freud. Comprei o e-book na Amazon por dez reais.

Em suas obras, Freud sempre usa elementos pessoais para construir tramas e personagens. Em “Um verão em Siena” (tradução portuguesa) ela refle sobre a relação com o pai, o pintor Lucian Freud, por meio da personagem Lara, uma jovem de 17 anos.

Lara irá passar um verão em Siena com o pai, o famoso historiador Lambert Gold. Os dois nunca tiveram uma relação próxima; Lara sempre fora criada pela mãe. Durante a viagem de trem até a Itália, ela começa a se aproximar do pai, que até aquele momento era apenas uma imagem, um continente a ser explorado.

Freud se inspirou na própria relação com o pai para criar Lambert. Assim como Lara, ela só se aproximou do pai no final da adolescência, como afirmou em uma entrevista para o jornal Telegraph. A escritora demorou um tempo para conseguir lidar com a ausência de Lucian Freud e conseguir escrever sobre o tema.

Assim como Lucian Freud, Lambert é um judeu refugiado em Londres durante a Segunda Guerra Mundial, que consegue criar uma exitosa carreira longe de sua terra natal.

Freud escreve sobre sexualidade e tabus

Em Siena, pai e filha ficam hospedados na casa de Caroline, uma grande amiga de Lambert. Há também Ginny, a cozinheira inglesa que os acompanha e está ansiosa pelo casamento entre a princesa Diana e o príncipe Charles (o livro se passa em 1981). Perto da casa de Caroline, moram os Willoughbys, família aristocrata inglesa que comprou uma vila inteira para morar: a vila de Ceccomoro.

Lara logo socializa com os Willoughbys e fica fascinada por Kip, o filho mais novo da família. Andrew, o patriarca, mora na Itália com a amante Pâmela, uma atriz de cinema, enquanto a mulher mora na Inglaterra. Entre banhos de piscina e passeios por Siena, Lara começa a se envolver com Kip e a descobrir a própria sexualidade.

A escrita de Esther Freud é leve, condizente com o clima de verão e férias na Toscana. Parece que entramos naquele mundo de brisa fresca à beira da piscina, sem deveres, nem obrigações. Freud nunca aponta os momentos de tensão com palavras e descrições desnecessárias. A sexualidade e assuntos tabus como assédio sexual e estupro são tratados de maneira sutil, mas nunca suavizados ao leitor.

A narração é em terceira pessoa, mas entramos no ponto de vista de uma garota de 17 anos. Freud cria um fluxo de consciência diferente, sem passagens do presente para as lembranças de Lara quando era criança e viajou com a mãe para o Nepal.Enfim, são muitos os temas tratados por Freud em sua obra, como as relações sociais, questões familiares mal resolvidas, a adolescência. Uma leitura que nos faz refletir.

Título: Um verão em Siena
Autora: Esther Freud
Editora: Asa
País: Portugal
Ano de publicação: 2007