Elena Ferrante e suas personagens geniais

Elena Ferrante é o pseudônimo de uma escritora italiana que se transformou em sensação mundial depois da publicação do livro A Amiga Genial, primeiro de uma série conhecida como tetralogia napolitana. A história de duas amigas que vivem uma infância pobre e difícil na Itália do pós-guerra conquistou os leitores, mas também acendeu a curiosidade de todos: quem é Elena Ferrante?

A escritora nunca apareceu em público ou buscou os holofotes da fama.Nas poucas conversas com a imprensa (The New York Times, The Paris Review), Ferrante sempre enfatizou a infância vivida em Nápoles como inspiração para criar personagens e tramas.

Movido pela curiosidade, o jornalista italiano Claudio Gatti investigou por dois meses a verdadeira identidade de Elena Ferrante. Em reportagem publicada em outubro de 2016 no jornal Il Sole 24 Ore e outras publicações internacionais, Gatti aponta a tradutora Anita Raja, como a verdadeira Elena Ferrante.

Além de suscitar debates sobre o direito à privacidade, a reportagem também reacendeu algumas polêmicas. Até que ponto a vida de um autor influencia o trabalho ficcional? Como essas histórias são construídas?

Tetralogia Napolitana

O mais interessante nos livros de Ferrante são as personagens femininas. O trabalho mais notável está na tetralogia napolitana, com os livros A Amiga Genial, História do Novo Sobrenome, História de Quem Vai e de Quem Fica e História da Menina Perdida (ainda não publicado no Brasil).

Com sensibilidade, mas numa linguagem simples e direta, a autora narra com velocidade de best seller a relação de cumplicidade, mas também de rivalidade entre as amigas.Neles, a personagem Lenu – Elena Greco relembra a história de amizade vivida com sua amiga Lina – Raffaella Cerullo.

Lina é massacrada durante a infância com insultos e agressões físicas pelos pais e o irmão Rino. É uma criança genial, inteligente, viva, mas que tem suas esperanças de continuar os estudos tolhidas pela família. Lenu também vive uma situação de pobreza e brigas constantes em casa, mas consegue ir adiante e frequentar a universidade.

Lina começa a estudar por conta própria, aprende inglês sozinha e devora livros. Lenu cria uma admiração pela amiga, que se transforma em inveja e competição. Se Lenu estuda grego na escola, Lina também aprende. A dinâmica da relação de amizade entre as duas se estrutura em torno da competição intelectual, mas é esta competição que impele Lenu para frente, para continuar os estudos pela amiga.

O ambiente do bairro não poderia ser pior, a máfia, representada no livro pelos irmãos Solara, controla os mais ínfimos acontecimentos do local, o que causa brigas e rancores. Lina, para se livrar das investidas dos Solara, casa com Stefano Carracci, filho do agiota Dom Achille. O segundo livro, História do Novo Sobrenome, relata o casamento de Lina e a vida de Lenu na faculdade.

historia-do-novo-sobrenome

Segundo livro da série napolitana

Elena Ferrante cria um mundo ficcional maravilhoso, do qual o leitor não consegue sair sem terminar por completo o livro. Na verdade, a maior criação ficcional é a própria Elena Ferrante. É esta escritora vinda de uma infância humilde em Nápoles que faz com que o leitor se envolva nas brigas dos Solara e dos Carracci, que torça por Lina e Lenu.

8 comentários sobre “Elena Ferrante e suas personagens geniais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s